Pages

Subscribe:

segunda-feira, 2 de julho de 2012

DICAS PARA AUTORES

Dicas para Autores (escrever bem (referentes a artigos, capítulos, e livros inteiros)
1. Para iniciar: antes de desenvolver um tema, faça uma lista de tudo o que diz respeito a ele, tudo o que você acha que é interessante comunicar.
2. Depois analise esta lista e destaque os sub-temas que podem ter alguma ligação entre si. Você não deve incluir todas as informações que sabe a respeito de um tema; é melhor escolher algumas que tenham algo em comum e desenvolvê-las, sob uma seqüência lógica.
3. Se o objetivo da obra é trabalhar conceitos cristãos para desenvolvê-los em grupo, os escritos devem conter estudos que levem a uma reflexão, normalmente encerrando com 2-3 perguntas. Não deve ser mais que isso a não ser que você esteja escrevendo estudos para um contexto onde terão mais tempo para refletir encima de suas perguntas, como num grupo familiar.
4. Tema central e seqüência lógica: O começo, meio e fim devem ser claros e o tema claramente destacado. Do contrário, é fácil tornar-se excessivamente repetitivo e andar em círculos, perdendo o rumo do que realmente quer comunicar. Para alcançar essa seqüência, você pode seguir os seguintes passos:
A. Começo: O primeiro parágrafo deve conter a idéia central do texto. Você introduz o assunto de maneira geral e vai delimitando o tema dentro de um parágrafo até dizer, em uma frase final, qual é a sua tese. (Em caso de textos extensos, você pode introduzir o capítulo no primeiro parágrafo e delimitar o tema, a tese, no segundo.)
B. Meio: Os parágrafos seguintes devem conter argumentos que provem que suas idéias são válidas. Aqui entram as diversas citações bíblicas, citações de outros autores, etc. Este é o momento de defender as suas idéias, de levar o leitor a crer no que está lendo, de convencê-lo a pensar como você, usando todos os seus artifícios. Observe que para defender uma idéia, eu vou utilizar argumentos que a confirmem, que dêem uma contribuição positiva à ela. Não é expediente entrar em explicações minuciosas do lado negativo do argumento, pois acabam contradizendo o que eu quero defender, ou fogem do tema central. A cada frase escrita, devemos nos perguntar: o que escrevi contribui indispensavelmente para a defesa da minha idéia e está diretamente ligado ao tema central? Em caso de resposta negativa, não vale a pena escrever a tal frase, pois atrapalha a comunicação com o leitor. Ele perde a concentração no tema e acaba se desanimando.
C. Fim: Depois de desenvolver todos os sub-temas que você definiu como relevantes e indispensáveis, está na hora de concluir. A conclusão trata-se de uma síntese clara, sem rodeios, do que você defendeu. Pode incluir uma reflexão ou aplicação prática, como chave de ouro; uma idéia fixa que continua martelando na cabeça do leitor após a leitura. No caso de conclusões de capítulos, não deve passar de dois ou três parágrafos. Para um livro, a conclusão pode ser de um capítulo, porém mais curto que os outros.
5. A clareza e a objetividade são fundamentais para manter a atenção do leitor. Simplifique ao máximo a leitura. Frases curtas e cheias de significado facilitam a leitura. Seja objetivo: diga o que quer dizer sem rodeios. A intenção de uma obra para reflexão é expressar uma idéia. Não deve se perder na função poética da linguagem. Isso é para obras literárias, não informativas. A repetição de palavras, os ecos nas sílabas finais e as cacofonias devem ser evitadas. Os adjetivos e advérbios de modo podem ser restritos. Às vezes, uma oração está tão carregada de adjetivos e advérbios que chega mais perto da descrição do que reflexão, e o leitor acaba se perdendo em saber qual a idéia que o autor quer passar.
6. A coesão e a coerência são aspectos indispensáveis. É preciso evitar contradições. Se você utiliza um argumento cujo lado positivo defende seu tema, não deve se prender no lado negativo. As citações também devem estar de acordo com o tema. A conclusão deve estar coerente com o meio e a introdução. É preciso ter harmonia no texto, concordância, associação, ligação entre idéias.
7. Podemos estabelecer um título para o livro antes de escrever, mas a delimitação do tema deve ser reavaliada após o livro ter sido escrito. O mesmo ocorre com a introdução. Isso por que muitas vezes acabamos fugindo do tema, o que não deve ocorrer, ou simplesmente vamos dando outro direcionamento no texto no decorrer de seu desenvolvimento. Assim, é preciso avaliar a introdução, o tema e o título depois do livro ser escrito.
8. Colocando-nos no lugar do leitor: a escrever, devemos considerar não apenas a nossa comunidade próxima, cuja cultura e pensamentos já conhecemos. È importante considerar também as outras comunidades, uma série de pessoas desconhecidas com outras culturas e pensamentos, mesmo todas estando envolvidas de alguma forma no meio cristão. Assim, a cada expressão que escrevemos, devemos nos perguntar: será que tenho base bíblica e teológica para afirmar isso? Como meus leitores vão receber essa informação? Se não tomarmos cuidado nessa área, podemos cair em descrédito e não alcançarmos o alvo pretendido.
Em conclusão, considere o seguinte texto por Beverly Ballaro e Christina Bielaszka-DuVernay:
“Antes de apresentar seu projeto, é importante fazer uma edição final do texto. Você poderá encontrar pequenos erros, pontos esquecidos... Esse trabalho é dividido em duas partes: estilo e clareza.
Na primeira metade você deve se concentrar, no plano microscópico, na mecânica e no estilo. Você revisou duas vezes a ortografia de qualquer palavra sobre a qual se sente inseguro? Alguma de suas frases é muito longa ou complicada? Você pôs aspas nos lugares corretos? Cada uma das sentenças tem sentido? Alguém que ignore o tema pode compreender o que você tenta dizer?
Uma vez que tenha solucionado os problemas de estilo, é importante analisar seu texto a partir de uma perspectiva telescópica. A segunda parte de sua lista de controle deve destacar temas de estrutura, clareza e fluxo da escrita.
Sua escrita tem um ponto convincente? Chega a uma conclusão coerente? Você oferece ao leitor exemplos específicos ou memoráveis para respaldar seus pontos de vista? As transições entre as seções do seu texto são suaves e lógicas? Sua escrita conta com um ritmo adequado de maneira que dá confiança ao leitor do começo ao fim? Passando por esse pente-fino, a revisão do texto de seu projeto está finalizada”.
Distribuído por “The New York Times Syndicate”
Camila Lopes, Dicas para Autores - Revisada, 17/06/05
Nesta página, como em qualquer outra neste site, é permitida total cópia dos textos aqui publicados para que você possa usar em seu ministério. Fique avontade em fazer modificações

0 comentários:

Postar um comentário